CODEPSI

BUSCA AVANÇADA
< voltar

Artigo

O Massacre

Maria do Carmo Bomfim
1/2011

O amor acabou, mas ele não percebeu. Continuou casado com a ilusão, enquanto ela se distanciava, cada vez mais, do que antes fora um casal.
Insistia em agradá-la, em vão, pois da parte dela não havia mais interesse. Sua insistência gerava desprezo.
Ele passou a curtir uma deliciosa sensação: a de ser ignorado.
Deu uma rosa vermelha à mulher, que nem a tocou. Colocou-a então sobre a mesa da sala e todos os dias vinha ver a flor definhando até secar.
Excitado, gozava essa vida e morte, afirmação do quanto era rejeitado.
Trouxe outra rosa e mais outras e, em êxtase, gritava para si mesmo: “Ela nem olhou”.
De tanto repetir esse ritual, incorporou o papel de desprezível e foi se abandonando até tornar-se uma sombra vagando pelos cômodos da casa. A mulher desapareceu, mas ele não precisava mais dela.
Dividiu-se em dois, e um imenso prazer surgia daquele sofrimento que um pedaço de si causava ao outro.

Miniconto publicado: Hiper Prosa, Crônica e Conto- Editora Persona- RJ, 2010.
< voltar
Os textos podem ser divulgados ou reproduzidos, integralmente, desde que mantenham as informações sobre o autor e sobre a CODEPSI.

Telefone: (21) 4141-9087
© 2018 CODEPSI. Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Créditos: D| Design Estratégico e Interage Solutions